Menu
Boletim informativo bimestral do Sindicato
das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais
Filantrópicos do Estado de São Paulo.

EDIÇÃO 10 – JULHO/AGOSTO DE 2018

Boletim informativo bimestral do Sindicato
das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais
Filantrópicos do Estado de São Paulo.

EDIÇÃO 10 – JULHO/AGOSTO DE 2018

Hospitais podem reter talentos com poucas verbas

A retenção de talentos é um dos grandes problemas de empresas que não operam no azul uma vez que a melhor forma de engajar um funcionário, já comprovada em pesquisas, é a promoção ou aumento de salário. No caso dos hospitais filantrópicos dificilmente é possível segurar os colaboradores por esta prática porque a falta de recursos é o principal problema dessas instituições.

Entretanto, há outras ações que não envolvem verbas altas e podem ajudar na retenção de talentos. “Em alguns casos os colaboradores não procuram aumento de salário, mas reconhecimento, que pode vir de um simples feedback, em que ele tem a oportunidade de falar também ou em benefícios”, afirma o presidente do SINDHOSFIL/SP, Edison Ferreira da Silva.

Uma das opções é a realização de almoços semanais para aqueles colaboradores que mais se destacarem na equipe ou vouchers de cinema, bares e restaurantes. Os hospitais também podem oferecer descontos em congressos e programas de pós-graduação, por exemplo, benefícios que não tem alto valor. “O SINDHOSFIL/SP tem parcerias com diversas universidades e pode ajudar os hospitais associados nessa questão”, finaliza o presidente.

Hospitais podem reter talentos com poucas verbas

A retenção de talentos é um dos grandes problemas de empresas que não operam no azul uma vez que a melhor forma de engajar um funcionário, já comprovada em pesquisas, é a promoção ou aumento de salário. No caso dos hospitais filantrópicos dificilmente é possível segurar os colaboradores por esta prática porque a falta de recursos é o principal problema dessas instituições.

Entretanto, há outras ações que não envolvem verbas altas e podem ajudar na retenção de talentos. “Em alguns casos os colaboradores não procuram aumento de salário, mas reconhecimento, que pode vir de um simples feedback, em que ele tem a oportunidade de falar também ou em benefícios”, afirma o presidente do SINDHOSFIL/SP, Edison Ferreira da Silva.

Uma das opções é a realização de almoços semanais para aqueles colaboradores que mais se destacarem na equipe ou vouchers de cinema, bares e restaurantes. Os hospitais também podem oferecer descontos em congressos e programas de pós-graduação, por exemplo, benefícios que não tem alto valor. “O SINDHOSFIL/SP tem parcerias com diversas universidades e pode ajudar os hospitais associados nessa questão”, finaliza o presidente.